Contando histórias, melhorando o mundo.

07 fevereiro, 2008

TRISTE DIVINA (dos Cantos Gregorianos)

TRISTE DIVINA! OH QUÃO DISSIMULANTE

ESTÁS EM TEU ETERNO ESTADO IMPURO

TU COM TEU OLHO VESGO CLAUDICANTE

QUE NÃO QUER VER ALÉM DO QUE É ESCURO


NENHUM OUTONO TOMBA A FOLHA ERRANTE

CUJA VERMELHA CLOROFILA ESCONDE

TANTO O ASSASSINO QUANTO O SEU MANDANTE

DE TANTO CRIME QUE SABE DEUS ONDE


TRISTE CIDADE! QUE ACEITA A FOLHA

VENDENDO EM SUA PÉTALA A DOENÇA

MENTINDO A PRIMAVERA E A TI CONSOME


EM MIM GEROU A DÚVIDA DA ESCOLHA

ENTRE O CALAR PRA SEMPRE O QUE SE PENSA

OU REVELAR DA FOLHA AGORA O NOME.

2 comentários:

Mariana disse...

É MEUUU!!!!!!!

lais disse...

oi!
só passei pra deixar um abraço e dizer q é bom q vc tenha reativado o blog, gosto de seus textos!