Contando histórias, melhorando o mundo.

22 julho, 2008

UM, DOIS, TRÊS... TENTE OUTRA VEZ!


Oficina com Cícero Silva (Titetê), em BH, aquece nossa alma de palhaço


Um barato! Aproveitando os dias de recesso escolar em julho, participei de mais um curso/oficina. Mais uma vez, o alvo era buscar subsídios para o Bandeirola, palhaço que, cada vez mais, toma conta de meu tempo. Que os meus cinco leitores não se assustem se, daqui a alguns dias, encontrarem apenas o palhaço quando procurarem por mim.


A oficina UM, DOIS, TRÊS... TENTE OUTRA VEZ! é uma espécie de ritual de iniciação no mundo clown. Em rápidas vinte horas, Cícero Silva apresenta os fundamentos básicos para quem procura seguir os caminhos palhaçais. Além de muito divertida, a oficina é uma possibilidade única de auto-conhecimento, de reflexão sobre nosso (miserável!) papel durante o curto espetáculo da vida. Ao desconstruir a máscara séria do homem social, aquela que usamos para tratar nossos compromissos cotidianos, e permitir que (re)aflore o rosto da criança perdida, os jogos palhacescos nos colocam diante de uma questão crucial: “Quem eu realmente sou aqui e agora?”. Isto é: será que ao vestir as máscaras da seriedade impostas/exigidas pelo mundo adulto estamos sendo nós mesmos ou apenas fingindo, participando de um jogo no pior sentido que essa palavra possa ter? O palhaço, personagem universal, não existe como ser político ou ético, mas como ser lúdico; é a possibilidade de voltar a enxergar o mundo com a pureza (e a sinceridade, a inocência, a agudez, a singularidade... a verdade!) do olhar da criança.


Cícero Silva tem um largo currículo na arte do palhaço, mas sem estrelismos e afetações, deixa os palhaços à vontade. Mostra o caminho mais seguro, dá dicas preciosas, fala de suas experiências, improvisa e cria na hora, orienta, deixa rolar... Ri e se diverte durante todos os trabalhos; é quase um “militar” nos comandos e exigências. Não é “bonzinho”; é exigente e cativante, rígido e apaixonante, cruel e amável... Um autêntico palhaço. Se um dos meus cinco heróicos leitores quiser saber mais sobre ele, basta entrar no site http://www.titete.com.br/ (tem um link aqui ao lado!) e ver que o cara é mesmo da pesada, embora pese (dados dele) apenas 57 quilos.


Não bastassem a riqueza da oficina e as novas amizades, foi uma delícia ir ao lendário Maleta tomar uma cerveja na noite de sábado e curtir um pouco da banda maldita da boemia belorizontina.


P.s.: assim que cheguei a Divinópolis, no domingo dia 20, dia especialíssimo para mim, não resisti e corri ao Kalahari Circo, que se apresentava por essas plagas. A imagem não ficou muito boa, mas todo o charme da alma decadente de um circo espelunca puderam ser capturadas nas curvas roliças da charmosa trapezista gordinha. Melhor: as crianças que estavam lá, com seus heróicos pais (calculei um público de mais ou menos umas cem pessoas) riam a valer das palhaçadas de Cheirosinho & Cia., mostravam-se apreensivos nos números de trapézio e equilibrismo, aplaudiam e participavam do espetáculo com palmas e gritos. Um barato! Infelizmente, um dia depois o circo levantou lona e partiu atrás de novos públicos. Uma pena que não se valorizem esses pequenos circos que lutam, às duras penas, pra sobreviver. Eu, particularmente, tento não perder um.

8 comentários:

Titetê disse...

Ei Juvenal, obrigado pelo carinho... espero encontrá-lo em breve. Abração do Cícero e do Titetê. hehehehehehehe...

kalahary circo disse...

Decadente? espelunca??? gordinha???
Eu poderia dizer-lhe tudo o que seria realmente uma espelunca,decadente etc...
mas a educação q me foi dada e o sentido do que é realmente a cultura, e a importancia do que é viver dela, me impede de fazê-lo.
E também nem sei quem é vc, nem
o que você representa culturalmente. senão vc não teria um blog, e sim um site.
Tenha mais respeito!

scarllet guidio disse...

Oi Juvenal,tudo bem?sou a Scarllet do Circo Kalahary,ao entrar no seu blog percebi uma observação sobre nosso circo,onde você não conseguiu se expressar com clareza o que você realmente queria dizer, penso assim(...), pois ao mesmo tempo que você fez elogios,denigriu a imagem do nosso circo,tirando o valor de nossos artistas. Tenho certeza que você como um artista amador como diz ser, sabe a dificuldade de manter a arte circense no nosso Pais, e como palhaço poderia ao invés de criticar, poderia opinar com bom senso, pq nosso circo tem 50 anos de tradição, e um dos poucos a ser apoiado pela Funart, foi reconhecido por prestar relevantes serviços culturais a Minas Gerais, recebendo por isso uma homenagem pela Câmara de Vereadores de Belo Horizonte/MG, e não vai ser seu comentario chulo, que vai fazer de nosso Circo uma espelunca, e só mais uma observação, como você mesmo disse que sempre que tem uma oportunidade vai aos circos, ja deveria ter percebido, que artista que é artista, nao precisa ser um modelo de beleza, precisa sim ter qualidades e superar seus limites. A trapezista que você fez criticas preconceituosas e unica trapezista no Brasil com mais de 40 anos, mãe de dois filhos, a executar um trabalho que poucos fazem. Toda via queria agradecer sua atenção, pois me lembro de você no circo se deliciando e rindo com as graçinhas do palhaço CHEROZINHO. As fotos realmente nao esta muito boa, mas ser você quiser e so encontrar em contato comigo que te mandarei fotos com qualidade onde você podera mostrar aos visitantes do seu blog, um circo que não e nem um pouco decadente, muito menos uma espelunca.
Abraços.

Anônimo disse...

querido "amigo" nanal....rsrsrsrs
gostaria de saber qual o tipo de cultura vc possui?pois pessoas que usam palavras tão baixas e sem niveis para descrever uma arte (como é a arte cirsence)não tem cultura nenhuma.deveria vc saber já que se concidera uma pessoa tão culta que ate para fazer uma critica uma pessoa precisa ter nivel.isso vc mostrou no seu humilde blog que não tem nenhum!!!!
só lamento pela sua incrivel ignorancia,falta de educação,informação e inteligencia.
estude e se informe mais sobre o assunto CULTURA.quem sabe um dia vc seje digno de escrever ou falar sobre ARTE,seje ela qual for.
ah....blog?não estaria a altura da sua inteligencia um site!!!!
o circo é uma das artes mais antigas do mundo e uma das mais belas,logico....para quem entende do assunto,que definitivamente não é seu caso!!!!

Akyra Barbarëlla disse...

Oi Nanal! Adoro seu blog, sempre leio os textos através do Planetaki, e hoje resolvi ver como estariam eles na formatação original (sempre mais bonita e adequada...)

Eu vou aproveitar pra fazer propagando do meu próprio blog, o Makaber Magie. O endereço é
http://poecinzas.blogspot.com

Abraços de sua ex-aluna,
Bárbara

quixotesco disse...

pútzgrila.
Será que se esquece que a acidz, a ironia e a má-criação são prerogativas dos clowns?
Será que só eu vi o carinho nas expressões "decadente" e "espelunca"?
Será que tão poucos percebem o quanto é elogiosaq a frase toda?
"mas todo o charme da alma decadente de um circo espelunca puderam ser capturadas nas curvas roliças da charmosa trapezista gordinha."
"todo o charmwe" mostra o quanto ele adorou essa alma mambembe decadente
Aliás, legal a definição de mambenbe:"Mambembe: quer dizer Ordinário: de pouco valor; inferior; reles. 2 s.m.: Teatro amador volante."
Ora. Será que um palhaço não pode ser ele mesmo sem que um elogio seja confundido com uma ofensa?
Sinceramente... O que está acontecendo conosco que recebemos com pedras nas mãos os poucos corações abertos e sinceros que ainda há?
Palmas para o palhaço. Palmas, mesmo que não tenham entendido a piada.

Joubert Amaral disse...

Para ser sincero... achoq ue o pessoal do circo é que está meio desinformado.. talvez por causa de suas andanças pelo Brasil, não acompanham tanto assim a mudunça frequente dos meios de comunicação de massa.

Só para salientar.. blogs, são hoje a melhor ferramenta de comunicação existente dentro da Internet. Com ele podemos ter conhecimento do que se passa em diferentes partes do mundo e principalmente conhecer situações que a imprensa não mostra em "sites". Recomendo ler "O Blog de Bagdá", onde através de seu Blog o jovem Salam Pax comenta o horror da invasão americana no Iraque, mas não com os olhos da imprensa do ocidente e sim de um cidadão iraquiano, que se escondia de bombas e tiros de fuzil.

Quanto ao comentário sobre a cutura de Nanal, nem cabe a mim dizer, pois como grande admirador desta pessoa, ficaria muito explicito minhas palavras de defesa. Porém, prestem atenção no próprio texto que ele "postou", no qual cita o tal circo.

Ele fez elogios e em momento nenhum vi em suas palavras algo que denegrisse a imagem do circo, que infelizmente no Brasil é tão desgastada. Só não vê qem não quer.

Um Abraço

Joubert Amaral

Anônimo disse...

proucuro por uma pessoa que ja trabalhou no circo do cherozinho o nome dele e jose geronimo da silva natural de elois mendes ele se casou com maria do carmo na cidade de oliveira hoje ele teve ter uns 78 anos ele foi embora com o circo e ela nao quis ir pois os dois trabalham juntos no circo se tiverem informaçoes sobre ele ou parentesco me avivem por favor.ramine